Reduza seu lixo em 31 dias

Foto: Felipe Machado

Julho é o mês da campanha #PlasticFreeJuly, que começou lá no Reino Unido. Esse ano eu decidi fazer um calendário com 31 tarefas pra reduzir o lixo – especialmente o plástico. Se você fizer uma tarefa por dia, no final do mês vai ter aprendido a reduzir seu lixo de maneira simples e gradual.

Esse desafio é válido pra quem já começou ou quem acabou de chegar aqui, porque sempre temos algo a refinar nas nossas ações. Reduzir a quantidade de plástico que a gente gera como resíduo é super importante porque além de ser um tipo de resíduo super utilizado, ele também é sub reciclado. Vários países começaram a aprovar leis que proíbem o uso de descartáveis e assinaram um acordo de redução do uso de plásticos ao longo dos próximos anos (Brasil e Estados Unidos ficaram de fora, a propósito).

Se você adora uma lista a seguir, um desafio e quer participar desse movimento, poste suas mudanças com a tag #julhosemplástico pra trocar infos com quem também estiver fazendo isso por aí!

Dia 1: guarde seu lixo reciclável para analisar depois o que você produz

Porque isso é importante: pra que a gente veja tudo o que a gente produziu e também de onde veio todo esse lixo. Lixo reciclável é limpo e seco, então não vai ter cheiro ruim na sua casa. Se você se empolgar, pode separar por tipos. Ver tudo reunido durante um mês inteiro vai te ajudar a ter uma noção do problema – e como ele pode ser grande! Separe o lixeiro, um saco, uma caixa, um espaço na sua casa pra armazenar esse resíduo e convoque quem mora contigo pra fazer a mesma coisa.

Dia 2: não compre nada novo nesse mês

Roupa? Sapatos? Coisas pra casa? Não compre nada que não seja essencial (comida, remédios, etc). É importante que a gente pare de consumir loucamente coisas que a gente não precisa, não vai usar e que geram desperdício de dinheiro e espaço na nossa casa e vida. É uma boa oportunidade pra hoje se descadastrar de todas as newsletters de lojas que você recebe e deixam você morrendo de vontade de comprar algo novo “com desconto”.

Dia 3: se precisar de algo diferente, pegue emprestado primeiro

Vai testar uma receita nova? Dar uma festa? Furar a parede? Você provavelmente não precisa de um kit novo de pratos (essa foi lembrete pra eu mesma, que amo uma louça) ou de uma furadeira. Pegue emprestado do vizinho, peça pelo facebook se alguém tem. Ou use o Tem Açúcar? que é basicamente um sistema de empréstimo de vizinhos que não se conhecem ainda. Salve o site do Tem Açúcar pra se precisar, ao longo do mês.

Lá no comecinho do projeto meu copo era um pote de vidro. 🙂

Dia 4: pare de usar copo descartável

Não tem mais porque, certo? Pra você conseguir cumprir essa tarefa hoje e o mês inteiro, minha sugestão é ter um substituto pro copo sempre contigo. Garanta uma canequinha, um copo retrátil, um potinho de vidro, uma caneca de café normal da sua casa, uma garrafinha de água. Quanto mais fácil melhor, então se você puder ir AGORA na sua cozinha e achar um desses, melhor. Lembre que você não deve comprar nada novo esse mês, nem gadgets sustentáveis. Se você tem um trabalho fixo, que você passa a maior parte do seu dia é tranquilo apenas levar uma caneca e deixar na sua mesa. Se você passa o dia na rua, eu sugiro ter uma garrafa de água que já serve pra beber água e pedir bebidas ali também.

Dia 5: comece a planejar suas compras a granel

É provável que você precise comprar comida esse mês, então tente comprar o máximo de coisas a granel, sem embalagens nem saquinhos plásticos. Como fazer isso: procure lojas a granel perto da sua casa ou do seu trabalho. Separe saquinhos de pano (podem ser os que vem com sapato, só lavar antes) e potinhos (de vidro, de plástico, os que tiver na sua casa). Organize um dia para ir na loja a granel com um tempinho pra conversar com os atendentes e pedir suas comidas com calma. Organize a lista do que você precisa, leve um saquinho ou potinho pra cada uma das coisas e voilá!

Para frutas e verduras, você pode pegar tudo sem saquinho nenhum ou usar saquinhos de pano também. Eu costumo fazer feira uma vez por semana numa feira de rua, mas funciona do mesmo jeito em mercados. A tarefa de hoje é organizar esse kit de compras e, se possível, deixar tudo pronto dentro de uma ecobag grandona pra quando você sair, só pegar ela preparada pro novo modo de comprar.

Foto: Felipe Machado

Dia 6: troque sua esponja por uma bucha vegetal

Esponjas amarelinhas, pra lavar louça, são feitas de plástico e dificilmente recicladas. Elas costumam ser consideradas contaminadas pela quantidade de resíduos de alimentos que ficam ali dentro. Uma bucha é uma planta, é barato e fácil de achar (feiras de rua costumam ter) e é compostável então depois vira comida de minhoca. 🙂

Dia 7: comece a fazer seu detergente líquido natural

Se você está chegando aqui sem ter mudado nada na sua rotina, você provavelmente ainda tem produtos de limpeza convencionais. Conforme eles forem acabando (use tudo até o final) comece a substituir sabão pra roupas, detergente pra louça e desinfetantes pela receita do sabão líquido natural que serve pra tudo isso e além de natural reduz os resíduos gerados e também economiza muito dinheiro.

Dia 8: use guardanapos de pano

Os guardanapos de papel não só não costumam funcionar muito bem como geram um montão de resíduo que não pode ser reciclado. É verdade que você pode colocar na composteira – se tiver uma –, mas se você descarta na lixeira comum, eles vão pro aterro sanitário. Use panos de prato, peça pra alguma mulher da sua família que costura fazer guardanapos pra você com retalhes de tecido de algodão, peça pra sua mãe ou avó se elas têm algum sobrando. Qualquer tecido com acabamento pra não desfiar serve pra você se limpar e também pegar comidas na rua sem gerar resíduos.

Dia 9: tenha uma ecobag sempre na bolsa

Dobre ela bem pequenina e deixe na sua bolsa ou mochila. Assim você pode usar ela sempre que precisar: fazendo compras de emergência sem ter levado seu kit de compras a granel, carregando alguma coisa que você ganhou no dia, evitando saquinhos de plástico por aí. 🙂

Dia 10: faça sua pasta de dente

Eu tenho duas receitas legais pra você escovar seus dentes gerando menos lixo e de forma natural mas eficaz. Uma é essa com óleo de coco (que não fica oleosa na boca, ok?), e outra é o pó dental que é uma receita exclusiva do ebook de beleza natural. As duas permitem que a gente gere menos resíduos e escove os dentes com ingredientes naturais e eficazes na limpeza dos dentes. Xô tubinho plástico de pasta de dente!

Dia 11: comece a compostar

Você pode fazer uma composteira a partir de baldinhos ou comprar uma montada e pronta pra usar. O importante é começar a transformar seus resíduos orgânicos em comida de minhoca – e adubo! Se você mora em casa é ainda mais fácil, em apartamento que você precisa de uma composteira mesmo. Talvez você precise de mais dias pra organizar a compra e o uso da composteira, por isso eu sugiro que comece a ler e entender como que funciona tudo hoje e já marque os dias que você vai resolver essa questão.

Dia 12: pare de comprar roupa nova – compre “em casa”

Se você compra roupas novas com uma frequência alta (todo mês, toda estação), talvez seja o momento de rever esse hábito. Tire todas as roupas do seu armário e reorganize elas. Aproveite pra doar o que você não quiser mais e até separar algumas peças pra vender e ganhar um dinheiro extra. Com certeza tem coisas que você não gosta mais, nunca usou, etc. Costumamos ter armários lotados de roupas e para ter um guarda-roupa mais sustentável olhar de novo pro que já temos ajuda a ter roupas “novas” sem precisar de nenhum centavo a mais do que você JÁ gastou.

Dia 13: recuse a via do cartão e folhetos de propaganda

A partir de hoje, diga não pra via do cartão, pra brindes, folhetos de propaganda, tudo o que quiserem te dar sem sentido. Esse montão de papeis acabam não sendo recicláveis (no caso dos termossensíveis) e geram um lixo que não faz sentido nenhum: a gente acaba descartando sempre eles sem conferir. Pratique o não todo dia a partir de hoje.

Dia 14: descubra o coletor menstrual

Ou a calcinha absorvente, ou os absorventes de pano. Absorventes descartáveis geram uma quantidade enorme de lixo que não é reciclável nem compostável todo ano por nós que menstruamos. Todas as opções que eu citei são reutilizáveis e vão reduzir MUITO o lixo gerado todo mês. Um coletor dura até dez anos, é de silicone e seguro, além de outras vantagens que eu já contei nesse post. Sou superfã. Se você ainda não usa, fica a oportunidade de comprar um coletor (pesquisa um pouco sobre o tamanho antes) pra você – se você não menstrua pode ser um ótimo presente pra uma amiga, namorada, mãe, prima. Vamos espalhar essa palavra?

Dia 15: barbeador sem lixo existe

Você pode fazer a barba, depilar a axila ou as pernas com um barbeador totalmente de metal, sem plástico e que não é descartável. O modelo que eu uso chama safety razor, que é uma versão menos agressiva e que expõe menos a lâmina. Você pode ver aqui mais informações sobre essa opção – que também se acha em mercados e farmácias nos barbeadores.

Dia 16: não compre água engarrafada esse mês

Arrisco dizer que um dos maiores geradores de lixo plástico na nossa rotina são as garrafinhas de água. Esse mês, faça um esforço: não compre nenhuma. Nem pequena, nem grande. A água da torneira é igualmente potável que a água engarrafada. Se você tem um filtro com carvão ativado, ainda consegue tirar o excesso de cloro e outras substâncias do tratamento de água. Peça a água da casa nos restaurantes, fique de olho nos bebedouros em estabelecimentos grandes como mercados, shoppings, rodoviárias (sempre tem!), leve uma garrafinha sempre com você. Assim fica fácil evitar de comprar e gerar esse resíduo bem dispensável.

Dia 17: guarde os restos dos seus vegetais pra fazer caldo

Guarde no congelador em um potinho cascas, talos, restos de vegetais que não estão estragados mas que não são bons de a gente comer para fazer um caldo de legumes. Quando o potinho estiver cheio, coloque as cascas em uma panela, cubra com água e ferva por mais ou menos 1h. Coe e use esse caldo em sopas, risotos, para dar sabor e encorpar outras receitas. Você diminui o desperdício de comida e aproveita essas partezinhas que não costumam ser boas de comer. Você pode congelar o caldo em formas de gelo e guardar os cubinhos pra usar em receitas no futuro.

Dia 18: não peça delivery, faça seu jantar

Eu sei que é difícil manter comida boa feitinha em casa com mais um montão de coisas pra fazer na vida. Mas hoje, não peça delivery. Faça um arroz de brócolis, um macarrão com molho de tomate simples, uma receita mais elaborada como moqueca de banana da terra. Cozinhar comida de verdade ajuda muito a gente 1) reduzir o lixo em embalagens 2) reduzir o uso de descartáveis 3) respeitar e diminuir o desperdício de comida 4) gastar menos dinheiro 5) comer melhor 6) ser mais saudável.

Ah, e uma dica pra amanhã você ter almoço também: faça o dobro da receita. Vai demorar o mesmo tempo pra cozinhar e você congela o que sobrar ou deixa pra comer na próxima refeição.

Dia 19: jogue seu papel higiênico fora no saco de papel

Não tem porque usar saquinho plástico pra descartar o papel higiênico. A gente tá embrulhando um material com uma biodegradabilidade alta em outro que demora centenas de anos pra supostamente se decompor. Use saquinhos de papel da padaria, jornal velho, sacolas de papel para isso. Você só precisa cuidar com o descarte: se for na rua, não coloque em dias de chuva e só no horário que o caminhão do lixo passa; se for em condomínio o contentor provavelmente já tem um saco de lixo então não tem problema.

Dia 20: ou pare de usar papel higiênico

Se você quiser um desafio maior, pare de usar o papel higiênico. Troque por duchinha higiênica + toalhinhas. Você vai se limpar com a água e se secar com a toalhinha. Não vai gerar esse lixo e vai ser, inclusive, mais higiênico e saudável. Isso só vai dar certo pra usar em casa, claro. E se você mora com mais pessoas o ideal é que cada um tenha uma identificação na toalhinha rs. Quando sujar, coloque em um balde e deixe de molho com sabão um tempinho antes de jogar na máquina.

Foto: Felipe Machado

Dia 21: aprenda a fazer seu próprio vinagre

Vinagre é ótimo pra tirar cheiros ruins em casa, limpar xixi de cachorro ou gato, deixar o cabelo brilhante e sedoso e, claro, ser usado no lugar do amaciante. Esses são os usos que faço do vinagre que eu mesma faço, a partir de cascas de frutas como maçã ou abacaxi. É um jeito ótimo de reaproveitar esses resíduos e ao mesmo tempo, evitar a produção de uma embalagem de plástico enorme – já que a gente usa bastante em casa. Essa receita é bem simples, comece agora e até o fim do mês você tem seu vinagre prontinho!

Dia 22: planeje suas refeições e diminua o desperdício

Escreva num papel o que você quer comer durante essa semana. Café-da-manhã, almoço e janta. Lembre-se da dica de cozinhar a receita sempre em dobro pra que sobre comida. Faça a lista de compras com os ingredientes que você precisa olhando primeiro na sua despensa e geladeira. Compre a granel, cozinhe e assim você vai conseguir comer comida de verdade a semana todinha!

Fazer esse planejamento semanalmente é legal pra revisar o que você já tem em casa, é bom pra comprar menos comida e ser mais organizado e até pra discutir com a família pratos gostosos que vocês estejam com vontade de fazer.

Dia 23: aprenda a comprar na feira de rua perto da sua casa

Falando em comida, um dos melhores jeitos de você ter comida sempre fresquinha é comprando vegetais e frutas na feira de rua. É também um jeito fácil de comprar sem produzir lixo e gastando bem menos dinheiro. Descubra as feiras de rua perto da sua casa e dê uma olhadinha nesse mapa das feiras orgânicas do país pra ver se não tem alguma perto de você.

Dia 24: pare de usar papel toalha, alumínio, manteiga etc

Todas essas opções geram um resíduo muito ruim, o rejeito: aquele que não podemos compostar nem reciclar. Por isso o melhor é sempre evitar de produzir ele antes de mais nada. Nesse post eu ensino como substituir o papel-manteiga, o papel-alumínio, o plástico-filme e o papel-toalha por versões reutilizáveis que não geram lixo.

Dia 25: avalie como está seu kit lixo zero

Existem pesquisas que dizem que um hábito demora 60 dias para virar hábito. Se a gente se basear nessa pesquisa, faltam então 35 dias para que vire hábito você ter sempre na bolsa, lembrar de usar e usar seu kit lixo zero sempre que for comer fora de casa. Lembra da caneca e do guardanapo de pano que eu disse pra você garantir sempre? Eles são o básico do kit, mas você pode querer incluir um jogo de talheres, hashis, canudo e até uma marmitinha.

Dia 26: use aquilo que você já tem

Um dos melhores jeitos de ser sustentável é não comprar nada. Normalmente a gente já tem tudo o que precisa em casa, não precisa de coisas novas pra substituir as velhas que seguem funcionando. Mais ainda pra quando a gente começa a trocar os produtos por versões mais naturais e aí sobram cosméticos, comidas, produtos de limpeza. Pois use tudo até o final, sem desperdiçar. Depois você começa a mudança, mas enquanto tiver sabão pra roupas em casa: use o que está lá. Enquanto você tiver um estoque de sabonetes e xampu: use o que está lá.

Dia 27: escove seus dentes com escova de bambu

Uma mudança legal de fazer nos itens que a gente precisa comprar com frequência é nas escovas de dente. As versões de bambu tem só as cerdas de plástico enquanto seu cabo é biodegradável e pode ser enterrado, colocado na composteira, reaproveitado em hortinhas ou vasos. As escovas comuns são feitas de plástico e, na maior parte das vezes, acabam não sendo recicladas.

Dia 28: faça seu desodorante natural

Quase fim do mês. Já deu tempo de acabar seu desodorante? Minha receita favorita é a minha mesmo, um desodorante em creme hidratante e que segura qualquer cecê. Os ingredientes são fáceis de achar pra você fazer em menos de 10min hoje em casa. Se você já testou bicarbonato e teve alergia, pode fazer uma versão com leite de magnésia também. 😉

Dia 29: coloque suas contas em versão digital

Com todo mundo usando bancos em apps de celular, no computador, pra quê continuar imprimindo e enviando todo mês pra sua casa boletos de serviços que podem ser por email? Quase todos os serviços tem essa opção hoje em dia e o único cuidado que você precisa ter é conferir os boletos e guardar os emails com eles. Não só é muito papel que deixa de ser impresso, mas muito plástico também presente em muitas embalagens de envios.

Dia 30: leia um livro ou veja um filme

Penúltimo dia do mês e a dica é: comece um livro sobre sustentabilidade ou assista a um documentário. Recomendo Cradle to Cradle, Uma Vida Sem Lixo (o meu livro!), Cozinhando Sem Desperdício, Skin Cleanse, A História das Coisas pra ler. E pra assistir tem Cowspiracy, Demain, One Strange Rock, as palestras do Fru.to.

Dia 31: analise seu lixo reciclável até agora. O que tem ali?

Último dia do desafio. Hora de abrir o lixo que você guardou por esses 31 dias e analisar o que tem ali dentro. Tem mais plástico do que você imaginou? Tem mais embalagens de algo que você não se dava conta que consumia? Olhar tudo o que a gente acumula só em embalagens vazias é importante pra gente se dar conta do tipo de coisa que consumimos e como podemos melhorar também. A partir de hoje, você está iniciado para continuar a jornada de produzir menos lixo, menos desperdício e consumir menos. Quer saber o que tinha no meu lixo durante esse mês? Eu vou postar dia 31 lá no Instagram @umavidasemlixo.


Gostou desse post? Ele é possível graças ao apoio dos assinantes do Catarse, um jeito de financiar a produção de conteúdo que seja livre de propaganda e realmente independente. A partir de apenas R$7 mensais você ajuda a manter essa produção de conteúdo que dá autonomia na hora das escolhas do dia a dia e ensina a sermos questionadores além de receber uma newsletter e concorrer a sorteios exclusivos. Apoie você também.

Autor: Cristal Muniz

Cristal Muniz decidiu em 2015 que iria parar de produzir lixo e por isso criou o blog Um Ano Sem Lixo. Ao longo desses anos já deu várias palestras em escolas, universidades e eventos contando quais são os principais desafios e o que mudou na sua vida para alcançar o objetivo do lixo zero. Um ano virou uma vida e em julho de 2018 publicou o livro Uma vida sem lixo (Editora Alaúde), o primeiro livro sobre como ter uma vida lixo zero do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *