chega de absorventes, apresento-lhes o coletor menstrual!

Vamos falar de menstruação.

Os absorventes descartáveis foram um dos responsáveis pela liberdade atual das mulheres. Antes e até hoje em dia, em outros países, mulheres e meninas sofrem com os dias que estão menstruadas porque não possuem um produto adequado que recolha o sangue, não deixe a roupa suja e não impeça de fazer as atividades normais. Foi por causa das “fraldinhas” (os absorventes normais) e dos absorventes internos que a gente passou a ignorar os dias de Chico e continuamos trabalhando, indo pra praia, pra natação, pra escola e até fazendo sexo.

Foi um passo pra liberdade. Mas os absorventes da liberdade não são recicláveis. Eles são compostos de plástico, algodão quimicamente tratado, embalagem, papel, adesivo, às vezes aplicador, papelzinho, embalagem individual e etc. Em cada ciclo menstrual, a gente usa mais ou menos 10 absorventes. Ou seja, 120 absorventes por ano. Hoje em dia a gente tem cerca de 400 ciclos ao longo da vida, ou seja, 4 MIL absorventes jogados fora que ficarão 100 anos ou mais até se decompor!

Agora que a gente já chegou aqui e não quer perder nossa liberdade, temos duas opções para não continuar produzindo lixo: coletores menstruais de silicone ou absorventes reutilizáveis de algodão.

Um coletor de silicone custa em média uns R$75, o que dá mais ou menos 6 ou 7 meses comprando absorventes. E ele pode ser usado por vários anos (dizem que até 10, mas tudo depende de como você cuida dele), ou seja, compensa.

Já o absorventes reutilizáveis de algodão são absorventes iguais aos descartáveis, feitos de tecido. Você usa com a mesma frequência e do mesmo jeito. Para lavar os absorventes de algodão, é bom deixar de molho com bicarbonato de sódio e colocar gotas de óleo essencial de melaleuca (tea tree) que ajuda a desinfetar. Sem neura, joga na máquina que ela faz tudo hoje em dia. 😉

O coletor é o mais diferente pra maioria de nós. Surgem muitos pontos de interrogação quando você vê a fotinho dele e pensa “será que isso é mesmo maravilhoso?”. Pois sim, é. Você pode ficar de 8 a 12h usando ele, bem mais tempo que um OB (cerca de 4h) e sem medo de ter uma síndrome rara (vocês já leram as instruções de um absorvente interno e viram que você pode ter síndrome rara?).

Você não produz lixo. Você não coloca um algodão quimicamente tratado dentro do seu corpo. Você esquece que está menstruada. Você não deixa um algodão absorver não só sua menstruação como todas as outras coisas que são boas para sua saúde íntima. Você pode dormir com ele!

Depois de quase um ano e meio usando o coletor, eu voltei aqui pra dizer que ele é realmente tudo isso que eu achava que ele era. É prático, eu realmente esqueço que tô menstruada, é higiênico, dá pra fazer yoga e andar de bike sem se preocupar, vaza muito menos que os absorventes “normais”, é super mais barato já que faz quase um ano que ele se pagou.

O coletor menstrual mudou muito minha percepção do meu ciclo e achei isso muito empoderador. Eu não fazia ideia do volume ou da textura da menstruação, hoje eu sei. E é importante saber, pra que cada mudança que a gente perceba, a gente saiba falar pro médico. Conversei com várias amigas sobre o assunto e a maioria que começou a usar, não pensa em deixar de usar jamais.

Se você não se convenceu ainda, vê esse vídeo da Jout Jout:

Outras dúvidas que sempre me perguntam e que eu também tinha:

– É desconfortável?
Não. Você não sente nada, assim como um OB.

– Não é nojento?
Bem, é sua menstruação. É um pouco, ok. Mas você joga no vaso, lava na pia e coloca de novo. Nada de espetacular nisso tudo.

– É difícil de acertar a posição para colocar?
Eu achei tranquilo porque segui a instrução das marcas e de quem usa que é não enfiar para cima, mas para trás. Na dúvida, usa um outro absorvente na calcinha nas primeiras vezes que você colocar pra se sentir mais segura. E o vídeo da Jout Jout ajuda muito.

– Como fazer pra tirar e limpar se ficar mais de 12h fora de casa?
Você pode levar uma garrafinha d’água e lavar o coletor ali mesmo na cabine do vaso. Nunca fiz, mas esse é meu plano caso precise. Escolha um banheiro teoricamente mais limpinho, tipo os de shopping ao invés de um de buteco. E lave a mão ANTES de ir fazer isso.

– Qual o jeito certo de higienizar o coletor menstrual?
Ferver por 5 minutos sempre antes e depois de cada ciclo. Além disso, durante as limpezas do dia, é bom lavar com bastante água e um pouquinho de sabão.

– Como eu sei que vai ser o tamanho certo?
Depende da marca, mas quase todas têm pelo menos 2 tamanhos. A Holy Cup tem mais tamanhos e também opções mais maleáveis ou rígidas do silicone. É legal ver as recomendações de todas as marcas, conversar com quem tem pra se decidir. Eu uso o da Inciclo, que foi o primeiro que vi e comprei. Mas preferia ter comprado um que, no cabinho, não fosse vazado. O da Holy Cup parece mais confortável porque é uma bolinha. Eu tive que cortar um pedacinho do cabo pra me adaptar.

– O coletor não tem chance de se perder lá dentro?
Não, porque ele fica logo na entrada do canal vaginal. É diferente do OB que precisa ser enfiado lááá em cima. O coletor fica bem mais pra baixo (tem que dar pra tirar com a mão, né?). E, além disso, ele cria um vácuo pra ficar no lugar (e não vazar).

Se vocês tiverem mais dúvidas, me mandem que responderei pra vocês e aqui 🙂

Para comprar:
Holy Cup
Inciclo
Meluna
Mooncup
Absorventes de pano

Autor: Cristal Muniz

Cristal Muniz decidiu em 2015 que iria parar de produzir lixo e por isso criou o blog Um Ano Sem Lixo. Ao longo desses anos já deu várias palestras em escolas, universidades e eventos contando quais são os principais desafios e o que mudou na sua vida para alcançar o objetivo do lixo zero. Um ano virou uma vida e em julho de 2018 publicou o livro Uma vida sem lixo (Editora Alaúde), o primeiro livro sobre como ter uma vida lixo zero do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *