Receita pra fazer em casa: desodorante natural sem alumínio em creme

Essa receita é bem parecida com várias que existem na internet. Eu me baseei nessa receita da Lauren, do blog Trash Is For Tossers, mas mudei algumas proporções e ingredientes, porque eu queria que ela fosse mais segura pra maior quantidade de pessoas. Como o bicarbonato pode irritar a pele, coloquei bem menos dele na proporção e acho que isso foi um dos segredos do sucesso. Poucas pessoas que seguiram as proporções ou levaram o desodorante pra casa no curso de beleza natural tiveram problemas.

Fazer esse desodorante em casa é bom porque você:

  • Para de usar desodorantes feitos com alumínio, esses convencionais de mercado;
  • Para de produzir a embalagem dos desodorantes (mesmo os naturais, eles tem embalagem normalmente de plástico);
  • Economiza muito dinheiro também, porque é uma receita que dura mais de um mês e custa pouquíssimo;
  • Você consegue fazer sem produzir lixo porque dá pra comprar bicarbonato e amido a granel + o óleo de coco em embalagem de vidro reutilizável;
  • Você escolhe a manteiga e pode alterar as proporções conforme suas necessidades (calor, muito cheiro, não gostar do toque molhado, etc).

Ele é feito de basicamente três ingredientes bem simples:

O bicarbonato de sódio é o agente bactericida que evita o cheiro ruim
  • Bicarbonato de sódio: o agente bactericida da mistura e que vai impedir que as bactérias que causam o cheiro ruim nas axilas se proliferem.
  • Amido: pode ser de milho, de araruta, de batata, de mandioca. Tanto faz. Ele vai ajudar a absorver o suor e controlar o suador. Claro que, sendo um desodorante natural, ele não é antitranspirante e suficiente pra deixar a axila seca o dia todo. É mais um auxílio mesmo.
  • Manteiga vegetal: a base do desodorante é uma manteiga vegetal que você escolhe a que usar. É muito comum ver essa receita em blogs de fora do Brasil com óleo de coco, mas aqui no nosso calor ele fica líquido muito fácil (em alguns lugares o ano todo), por isso eu não recomendo usar ele puro se não tiver frio. Além de segurar a mistura na axila, a manteiga hidrata a região.

Você vai precisar de:

  • 3 colheres de sopa de uma manteiga vegetal
  • 2 colheres de sopa de amido
  • 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio
  • 5-10 gotas de óleo essencial (opcional)

Como fazer:

  1. Coloque a manteiga vegetal em um potinho de vidro em banho-maria para que ela derreta se ela estiver muito dura. Esquente a água aos poucos para não oxidar a manteiga.
  2. Quando estiver tudo derretido, misture os outros dois ingredientes.
  3. Para adicionar o óleo essencial, espere ficar morno a frio. Recomendo o de melaleuca pra quem tem problemas com muito cheiro e o de lavanda pra quem tem sensibilidade. Se você for usar outro, confira nessa tabela as indicações e restrições de uso. Não use nunca um óleo essencial de fruta cítrica porque pode queimar sua pele quando exposta ao sol. Respeite também a quantidade, você não quer uma axila machucada! 😉
  4. Guarde em um potinho de vidro bem vedado e use por 1-2 meses. Aplique com o dedo na axila depois do banho.

Proporções de manteigas vegetais que eu indico:

→ 2 partes de manteiga de cacau + 1 parte de óleo de coco
→ 2 partes de manteiga de manga + 1 parte de óleo de coco
→ 3 partes de manteiga de manga se você sua muito, mora em um lugar muito quente e prefere um toque mais seco e não tão “molhadinho”, porque é uma característica da própria manteiga de manga
→ 3 partes de óleo de coco só se você morar em um lugar bem frio ou quando estiver no inverno, caso contrário o desodorante não fica cremoso, fica líquido e a mistura não fica homogênea

Dá pra usar qualquer outra manteiga vegetal que você quiser, essas são as que indico porque já usei, são fáceis e com preço acessível no Brasil. Eu sempre dou preferência pras matérias-primas brasileiras. Se você mora em outro lugar, pode tentar com outras manteigas como a de karité ou a de murumuru. Não sei dizer se vai funcionar do mesmo jeito pra todas, sugiro que você pesquise um pouco sobre a que quer usar. Mas não tem muito mistério! A diferença é normalmente no toque (mais ou menos oleoso), no cheiro (algumas tem cheiro característico) e da textura no calor (se fica firme o tempo todo)

Eu amo essa receita. Desde a primeira vez que fiz, nunca mais usei outra coisa. Ela não irrita a axila, segura o cheiro o dia inteirinho, é barata de fazer e cheirosa. Recebi muitos feedbacks positivos de pessoas que amaram e estão usando há um tempão também. Notei com o uso que algumas blusas ficam com a área que encosta na axila um pouco oleosa por absorver o desodorante. Sai na lavagem e não manchou. Você pode esfregar diretamente na blusa com um sabão de coco antes de colocar a roupa pra lavar na máquina, se achar que precisa.

Pras blusas brancas que costumam amarelar com o suor, eu recomendo esfregar bem com sabão de coco em barra e deixar quarando no sol com sabão e tudo, até a blusa secar. Depois é só esfregar bem, enxaguar e deixar secar no varal. Tenho feito isso com roupas brancas que mancham e tem sido sucesso.

Autor: Cristal Muniz

Cristal Muniz decidiu em 2015 que iria parar de produzir lixo e por isso criou o blog Um Ano Sem Lixo. Ao longo desses anos já deu várias palestras em escolas, universidades e eventos contando quais são os principais desafios e o que mudou na sua vida para alcançar o objetivo do lixo zero. Um ano virou uma vida e em julho de 2018 publicou o livro Uma vida sem lixo (Editora Alaúde), o primeiro livro sobre como ter uma vida lixo zero do Brasil.

Deixe uma resposta para Brunna Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *