Como fazer compras a granel

Produzir menos lixo na hora de cozinhar e comer é mais do que possível – e tudo começa na hora de comprar. Eu faço compras a granel faz anos já e não sei porquê nunca tinha feito um post completo sobre isso aqui!

Ao fazer essa escolha, você vai comprar muito menos em mercados (porque as opções lixo zero nesses lugares são limitadíssimas ainda) e vai comprar muito mais em feiras livres e orgânicas, empórios e lojas naturais e a granel. Mas mesmo nos mercados comuns existem opções para voltar para casa sem saquinhos, caixinhas e outras embalagens.

Fazer compras a granel é muito fácil e também muito bom. Você deixa de produzir o lixo das embalagens das comidas levando os seus próprios recipientes de vidro ou embalagens de pano. Chegando em casa, tudo já está guardadinho – no caso dos potes de vidro, é só guardar na estante. Você ainda escolhe a exata quantidade do que precisa gerando menos desperdício, economizando dinheiro e, claro, se alimentando muito melhor.

Além de produzir menos lixo, comprar comida assim tem outras vantagens:

  • Comer mais comida de verdade;
  • Cozinhar mais em casa;
  • Economizar dinheiro comprando só o que você realmente precisa aquela semana;
  • Economizar tempo indo fazer compras só uma vez por semana;
  • Descobrir um montão de coisas diferentes das que você estava acostumado a comprar.

O que você precisa para fazer compras a granel

Saquinhos de pano de vários tamanhos

Você pode mandar fazer em uma costureira reutilizando tecidos que você tiver em casa ou usar esses que vem com sapato, sabe? O legal é que eles sejam bem levinhos para você dispensar a pesagem dele e agilizar as compras. Podem ser usados para comprar: chás, castanhas, cereais, grãos como feijão e arroz, frutas e verduras, bolachas, salgadinhos, pão.

Potinhos de vidro

Reutilize potes de geleia, molho de tomate e azeitonas, mas invista em potes maiores também se sua família for grande. Os potinhos precisam estar limpos e tampados. Como eles são pesados, eu levo só quando vou em uma loja a granel perto de casa, senão fica difícil trazer as compras do mês a pé.

Podem ser usados para comprar de tudo, mas eu sugiro priorizar as coisas que são em pó e ruins de serem colocadas em saquinho de pano como: farinhas, açúcar, temperos em pó, ervas em pó ou muito fininhas.

Uma ecobag grandona

Deixe sempre uma sacola retornável na bolsa. Na hora de fazer compras, é só carregá-la com seus saquinhos de pano e potes de vidro. Você pode deixar uma ecobag + saquinhos de pano como se fosse um kit de compras a granel pronto pra usar em casa.

Funil

Útil para ajudar o atendente da loja colocar as coisas em pó nos seus potinhos, porque os pegadores da loja costumam ser muito grandes. Pode ser bem útil para agilizar o processo e ganhar um pontinho com os atendentes na sua loja a granel preferida.

Caneta para marcar no vidro o que você precisa

Se você tiver uma caneta que escreve em CD, pode usar ela pra escrever nos vidros o que pretende comprar. Assim você dispensa a lista de papel que viraria lixo e também diminui a ansiedade principalmente nas primeiras idas à loja a granel.

Passo a passo para o dia de compras

Como comprar frutas, verduras e legumes sem usar nenhum saquinho plástico:

  1. Vá até o mercado ou feira com seus saquinhos a postos. Prefira saquinhos mais transparentes, feitos com tecido tipo voal para essa ocasião que facilita um bocado.
  2. Encha os saquinhos com o que você quer comprar.
  3. Pese e pague!
  4. Chegue em casa e guarde tudo na fruteira ou na geladeira. Prontinho. Guarde os saquinhos para a próxima compra.

Para comprar cereais, macarrão, bolachas, temperos e chás, vá até uma loja que venda esses produtos a granel:

  1. Leve a quantidade de saquinhos ou potinhos de vidro necessárias para quantidade de itens que você vai comprar. Para saber isso, o legal é se planejar antes de sair de casa, olhando para as coisas que você já tem + fazendo uma listinha.
  2. Diga para o atendente que você gostaria de colocar suas compras nas suas próprias embalagens.
  3. Comece a pedir os produtos (aveia, feijão, chia, linhaça, castanhas, chá de camomila, canela, curry, pimenta) e vá dando os saquinhos de pano ou potes.
  4. Se o atendente ficar meio confuso, explique: é só colocar o saquinho ou o potinho de vidro vazio na balança, clicar no botão “tara” que ele zera o peso e aí vai pesar só o que você estiver comprando. Simples assim.
  5. As etiquetas com os valores você pode ir colando em cada potinho ou saquinho mesmo. Quando você chegar em casa é só colocar as etiquetas na composteira se elas forem de papel ou manter nos potinhos pra ver a data da compra (gosto de fazer isso com coisas que duram mais tempo).
  6. Chegando em casa, é só guardar os potinhos de vidro nos seus devidos lugares e transferir o que tiver nos saquinhos para potinhos bem vedados.

Para comprar pão:

  • É só levar o saquinho de pano na padaria com sistema self-service, colocar os pães lá dentro e ir pesar. Ou, se você precisa pedir pra alguém, peça para colocar direto no seu saquinho – provavelmente não terá problema.

O que comprar nos mercados comuns

Como não é possível comprar tudo a granel sempre, você talvez precise comprar macarrão, azeites e óleos, molhos e vinagres, alguns tipos de farinhas ou grãos em supermercados comuns, onde todas as comidas são embaladas.

Quem tem alguma alergia alimentar como os celíacos, por exemplo, também não pode comprar em lojas a granel para não comer nada com contaminação cruzada. Não se sinta culpado, saúde tem que vir antes nesse e em todos os casos.

Então, se não houver jeito e o mercado comum for a solução, adote certas práticas que já podem começar a fazer a diferença, como preferir produtos com embalagens com materiais puros e sem adesivos, que podem ser mais facilmente recicladas.

Frutas, verduras e legumes podem ser compradas sem os saquinhos de plástico. Para os mercados com balança no caixa é só levar tudo soltinho para que seja pesado lá na frente. Para mercados que possuem uma balança na área do hortifruti, leve saquinhos de pano. Nesse caso eu recomendo usar saquinhos de voal ou algum tecido bem levinho e com certa transparência, para evitar problemas.

Muitos mercados pelo Brasil também são Pontos de Entrega Voluntária (PEV) de lixos especiais ou recicláveis. Uma ida ao mercado pode garantir o destino adequado dos resíduos secos, de pilhas e baterias, eletrônicos, lâmpadas. Confira nas lojas em que você costuma ir. Se eles não tiverem, sugira para que tenham.

Evite comprar comidas prontas com embalagens que ficam sujas com o resíduo do alimento, já que elas precisam ir para o lixo comum. Embalagens de isopor e caixas de leite longa-vida são recicláveis, mas são pouco recicladas de fato e por isso eu evito ao máximo. Evite também comprar frutas ou verduras descascadas e embaladas em plástico: é um desperdício tirar a casca natural daquele vegetal e colocá-lo em um resíduo tão problemático. Reclame com a gerência do mercado, mostrando que não aprovamos esse tipo de conduta. É só quando a gente se une e reclama que as coisas mudam!

Como organizo minhas compras

Recentemente li o livro Zero Waste Home da Bea Johnson e comecei a implementar umas dicas que achei muito legais nas compras e armazenamento de comidas. Ela faz uma separação de comidas que sempre tem em casa e outras que variam, que rotacionam. Aqui em casa é assim:

  • Sempre tenho: arroz, farinha branca, farinha integral, farinha de milho, farinha de mandioca, bicarbonato de sódio, arroz, café*, açúcar mascavo, pipoca, sal, aveia, semente de girassol, linhaça, chia, tahine, melado, geleia, óleo vegetal*, azeite de oliva*, vinagre, aceto balsâmico*, shoyu* e temperos em geral.
  • Variam: grão (feijão ou lentilha ou grão-de-bico ou quinoa), macarrão*, vegetais e frutas, castanha, chá.

Saber disso me permite limitar o número de potes e espaço no armário para guardar minha comida e ter sempre uma variedade legal para cozinhar em casa. Ainda vou testar mais essa rotação das comidas que variam, mas tenho certeza que isso vai gerar menos desperdício (ter menos opções) e vai manter minha dieta mais rica e variada (se deixar eu e todo mundo comemos sempre a mesma coisa rs).

Não tem segredo, mas é um processo constante fazer as compras assim. Sugiro que você comece procurando uma loja a granel perto de casa ou do trabalho (espia nosso mapa colaborativo com lugares assim!) e ir em um dia livre como sábado pra ter tempo, aceitar as vergonhas, conversar com os atendentes. Seja firme, educado, vai dar tudo certo. E boa sorte!

Os itens marcados com um * são os que não consigo comprar sem embalagens por não ter achado ainda opções.


Gostou desse post? Ele é possível graças ao apoio dos assinantes do Catarse, um jeito de financiar a produção de conteúdo que seja livre de propaganda e realmente independente. A partir de apenas R$7 mensais você ajuda a manter essa produção de conteúdo que dá autonomia na hora das escolhas do dia a dia e ensina a sermos questionadores além de receber uma newsletter e concorrer a sorteios exclusivos. Apoie você também.

Autor: Cristal Muniz

Cristal Muniz decidiu em 2015 que iria parar de produzir lixo e por isso criou o blog Um Ano Sem Lixo. Ao longo desses anos já deu várias palestras em escolas, universidades e eventos contando quais são os principais desafios e o que mudou na sua vida para alcançar o objetivo do lixo zero. Um ano virou uma vida e em julho de 2018 publicou o livro Uma vida sem lixo (Editora Alaúde), o primeiro livro sobre como ter uma vida lixo zero do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Eu comecei a comprar a granel a pouco tempo e tem me feito muito bem, pois estou juntando duas coisas muito importantes pra mim: comer bem e diminuir o lixo. Então eu super recomendo. Tenho que falar uma coisa: eu moro em San Francisco na Califórnia e quando achei um mercado a granel aqui fiquei impressionada. Além dos secos (farinhas, castanhas, grãos, chás, temperos, etc) também é possível comprar líquidos a granel como óleos, azeites, manteigas, pastas de nozes e castanhas, azeitonas, etc. E ainda!!! Tem uma sessão que você pode até comprar shampoo, condicionador, sabão pra lavar roupa, detergente, sabonete líquido, limpador multiuso pra casa… tudo a granel. Espero que o Brasil chegue nesse nível um dia!

    • É muito legal mesmo ter todas essas opções. Aqui eu sei que já existem lojas que vendem várias coisas diferentes, mas a Anvisa tem algumas limitações de segurança.

  • Muito bom seu post! Já é possível comprar os grãos de café nas lojas a granel e moer em casa num moedor próprio ou no liquidificador. Eu costumo comprar nas Casas Pedro.

  • Adorei esse post porque ele tá beem explicativo e dando dicas super práticas pra quem quer começar a produzir menos lixo. Eu me sinto até meio hipócrita de comentar aqui já que não pratico nada disso, mas pretendo me organizar para fazer as coisas certinho e o post ajudou no sentido de me mostrar alternativas e também esclarecer algumas coisas que eu nem ia me ligar na hora de fazer kk
    E nisso ajudamos o meio ambiente e nós mesmos, né, porque com essa organização alimentar não compramos umas besteirinhas no mercado que tão ali, dando sopa kk