o que mudou na minha rotina para não produzir mais lixo

Quando eu comecei a pesquisar o que eu precisaria fazer pra parar de produzir lixo e quais mudanças na minha vida aconteceriam, imaginei (como você, como todo mundo que me pergunta e como todo mundo espera) que faria mudanças dráááásticas na minha vida, rotina, etc. Eis que outro dia, respondendo umas perguntas sobre o UASL justamente sobre isso, me dei conta que minha vida não mudou quase nada (!). Juro.

Talvez porque eu já tivesse um pezinho nesse lado e porque outros hábitos não eram tão difíceis. Não como carne, então nunca faço em casa (então não tenho problema de colocar isso na composteira, que não é recomendado). Não tomo refrigerante nem suco pronto. Não compro doces também, muito muito MUITO raramente. Minha dieta é basicamente verduras, frutas, cereais, grãos e castanhas. Nunca comprei coisas muito processadas ou em caixa (lasanhas, pizzas, coisas congeladas desse tipo), então nesse sentido eu mudei muito pouco. Agora tô tentando comprar mais coisas a granel e logo logo não comprarei embalagens.

Continuo fazendo algumas coisas mas com outros objetos: mudei o uso de algumas coisas, troquei opções descartáveis por reutilizáveis e passei a comprar opções mais naturais de cosméticos, xampu, condicionador, maquiagens e produtos de limpeza: basicamente, vinagre e bicarbonato de sódio.

De qualquer forma, listei o que mais mudou:
– Ter sempre guardanapo de pano, talheres, hashis, sacola de pano e um copo retrátil de alumínio comigo como quem tem sempre escova de dentes ou um remédio de uso contínuo. Ou seja, só passei a ter sempre na bolsa e tô acostumadíssima com isso.

– Nunca ir comprar nada sem planejamento: antes de ir no mercado, por exemplo, sempre penso no que tenho em casa e no que realmente preciso. Sempre confiro se tenho sacola retornável e, em muitas vezes, passo em casa para pegar sacolinhas e potes para ir fazer compras (no mercado ou na loja a granel, os dois são do ladinho de casa).

– Não uso mais absorventes descartáveis, agora uso um coletor menstrual de silicone 😀

– Não compro mais nada em tetrapak ou isopor porque são materiais que são difíceis de reciclar e não sei se aqui em SC eles tem destino correto. E não compro nada em embalagem não-100%-reciclável.

Mudei a areia da minha gata pra uma de madeira que pode ser jogada no vaso.

– Parei de pedir delivery – o que não foi nenhum sofrimento até então, porque eu só pedia em um lugar e muito raramente. Pedi uma vez num momento de tristeza extrema #canceriana e tô lidando com os pacotes de maionese até hoje (usando, lavando, etccccc).

– Limpo a casa com vinagre, bicarbonato de sódio e sabão de coco.

– Lavo a roupa só com sabão de coco líquido (e vou testar um feito-em-casa com bicarbonato de sódio e bórax), aboli o amaciante e uso vinagre no lugar.

– Não vou mais comprar roupas que não sejam fabricadas no Brasil, de preferência só de produtores artesanais e, sempre que possível, de 2ª mão e não novas.

Ainda faltam algumas coisas pontuais que produzem muito lixo como depilação, por exemplo. Outras inevitáveis, como medicamentos e camisinha. Mas até o fim do ano chego lá 🙂

Autor: Cristal Muniz

Cristal Muniz decidiu em 2015 que iria parar de produzir lixo e por isso criou o blog Um Ano Sem Lixo. Ao longo desses anos já deu várias palestras em escolas, universidades e eventos contando quais são os principais desafios e o que mudou na sua vida para alcançar o objetivo do lixo zero. Um ano virou uma vida e em julho de 2018 publicou o livro Uma vida sem lixo (Editora Alaúde), o primeiro livro sobre como ter uma vida lixo zero do Brasil.

Deixe uma resposta para cristal muniz Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *